O pão engorda?

O pão engorda?

O pão engorda?

 

Se acha que o pão é para esquecer num processo de emagrecimento, desengane-se. Sendo uma fonte rica em hidratos de carbono, o seu consumo tem imensas vantagens em relação a alimentos semelhantes.

 

Se olharmos para as representações gráficas que representam a alimentação saudável, tanto as pirâmides quanto as rodas dos alimentos mostram que os cereais, que são as maiores fontes de hidratos de carbono, devem ser a base da alimentação. Os hidratos de carbono constantes do pão não fazem engordar mais nem menos do que os hidratos de carbono dos cereais, das tostas ou das bolachas. O que pode acontecer é gostar-se mais de comer pão do que outros alimentos ricos em hidratos de carbono, e, desta forma, abusar do seu consumo. Mas essa é outra questão.

 

Em termos gerais, o pão tem várias características que fazem dele uma fonte de hidratos de carbono mais saciante do que os cereais, as bolachas, as tostas e outros semelhantes. Desde o elevado teor de fibra, que ajuda a aumentar os níveis de saciedade do organismo, até ao facto de promover mais tempo de mastigação, que também tem impacto no aumento da saciedade, passando pelo papel na redução dos níveis de colesterol e na prevenção de doenças cardiovasculares, há um conjunto de factores que torna o seu consumo benéfico, até num processo de emagrecimento.

 

Dependendo do tipo de cereais utilizado na sua composição, o pão tem diferentes propriedades. As variedades de pão provenientes de cereais integrais, que contêm o farelo, o gérmen e o endosperma, do grão, possuem teor elevado de fibra, vitaminas, minerais e antioxidantes. Já o pão proveniente de cereais refinados não apresenta uma riqueza nutricional tão grande, uma vez que o gérmen e o farelo, que contêm a maioria dos nutrientes, são removidos no processo de refinação.

 

Pão branco

Elaborado a partir de farinha de trigo refinada, contém apenas o endosperma do grão de trigo, pelo que tem baixo teor de fibra. Apresenta baixo teor de gordura, é de fácil digestão, mas apresenta índice glicémico alto. Ex: carcaça, baguete de pão de trigo.

 

Pão de mistura

Elaborado a partir de farinha refinada e outro tipo, que pode variar entre farinha de centeio, integral ou milho. O seu valor nutricional depende do tipo de mistura, mas, em geral, tem maior teor de nutrientes que o pão branco. Apresenta boa digestibilidade, e, por ter maior teor de fibra que o pão branco, apresenta um índice glicémico mais baixo.

 

Pão de centeio

O mais comum é ser elaborado a partir de uma mistura de farinha, com um mínimo de 50% de farinha de centeio. Tem maior teor de fibra que o pão branco e o de mistura, e apresenta baixo teor de proteína e gordura.

 

Pão de milho

É feito com farinha de milho não refinada, tendo um bom teor de fibra. Desta forma, apresenta menor índice glicémico que o pão de trigo. Não tendo mistura de farinhas, é um pão livre de glúten.

 

Pão integral

Elaborado a partir de farinha integral, o seu valor nutricional varia consoante a origem da farinha utilizada. Por ser elaborado a partir de farinhas integrais, tem elevado teor de fibra, chegando a ter 4 vezes mais fibra que os outros tipos de pão. Permite uma absorção lenta dos nutrientes, ajuda a regular níveis de açúcar e colesterol no sangue e possui baixo índice glicémico.

 

Pão de cereais

O tipo de farinha utilizado é o mesmo que o pão integral, sendo-lhe adicionadas sementes, como linhaça e chia. A presença de sementes confere a este pão um bom teor de ómega 3, fortalecendo o sistema imunitário. O elevado teor de fibra auxilia o processo de perda de peso e confere um índice glicémico médio.

 

Pão de soja

Contém isoflavonas na composição, que promovem um equilíbrio hormonal na menopausa. Possui um bom teor de fibras, que ajuda a controlar a absorção de colesterol a nível intestinal.

 

Pão de aveia

É rico em fibra solúvel, regulando o trânsito intestinal e auxiliando o controlo da absorção de colesterol a nível intestinal.

 

Confira as diferenças entre os tipos de pão acima referidos e os substitutos que, muitas vezes, são erradamente utilizados no lugar do pão:

 

Pão de forma

Apresenta alto teor energético e de gorduras, e um baixo teor de fibra. Para além da base do pão, são adicionadas gorduras hidrogenadas e trans, amido modificado, malte, corantes e conservantes, de forma a prolongar o prazo de validade. Tem índice glicémico alto.

 

Croissant

São adicionadas grandes quantidades de gordura hidrogenada tanto na massa folhada quanto na massa brioche. Tem alto teor energético e de gordura, baixo teor de fibra e índice glicémico alto.

 

Pão de leite

A massa usada é semelhante ao croissant brioche, adicionando-se leite. Apresenta alto teor de açúcares, de energia e de gordura, baixo teor de fibra e índice glicémico alto.

 

Assim, não esqueça que o pão, à semelhança de outras fontes de hidratos de carbono, deve fazer parte de uma alimentação equilibrada e saudável. Alterne o consumo entre vários tipos, de forma a usufruir as características nutricionais de todos. Opte pelas variedades mais ricas em fibra, e diminua o consumo dos que têm índice glicémico alto. E tenha em conta a questão da quantidade: embora o consumo de pão tenha claras vantagens a relação a outros alimentos, deve ser feito com moderação.