Porquê evitar longos períodos de jejum sem comer?

Porquê evitar longos períodos de jejum sem comer?

Porquê evitar longos períodos de jejum sem comer?

 

Todos já ouvimos dizer que se deve fazer várias refeições ao longo do dia, evitando grandes períodos de jejum. No entanto, parece-nos que “Se não comer, emagreço”. Então, em que é que ficamos?

 

A verdade é que expormos o nosso organismo a períodos de jejum demasiado prolongados tem várias implicações no nosso organismo, não só na gestão do peso, como também na saúde.

 

O nosso organismo funciona como uma máquina que, quando detecta carência de energia para funcionar, entra em modo de “poupança energética”. Desta forma, se ficarmos muito tempo sem nos alimentarmos, a tendência é para que o nosso metabolismo, que se traduz na quantidade de energia de que necessitamos para o organismo executar as suas funções, diminua, gastando menos energia que o habitual para trabalhar.

 

A diminuição do metabolismo origina duas situações, nada favoráveis a quem queira perder gordura:

 

1. Se o período de jejum for demasiado prolongado, o organismo tem de utilizar reservas para transformar em energia. E não, as reservas utilizadas não são as reservas de gordura… São reservas musculares. Assim, há perda de peso, mas em músculo, e não em gordura. Menos músculo e a mesma gordura representa menos peso… Mas mais flacidez.

 

2. Após um período prolongado de jejum, quando nos voltamos a alimentar, damos energia ao nosso organismo para que volte a funcionar correctamente. O problema é que um metabolismo lentificado não necessita de tanta energia quanto necessita habitualmente. Desta forma, da energia fornecida sob a forma de alimento, uma parte é utilizada com o propósito correcto, mas outra parte é acumulada… Sob a forma de gordura!

 

Se juntarmos ao fenómeno de acumulação de gordura o facto de, em geral, sentirmos fome após um período de tempo demasiado prolongado, temos outro problema: a ingestão de alimentos superior ao normal. Se o organismo já tem a tendência de acumular gordura, com uma ingestão de alimento demasiado grande, a quantidade de energia convertida em gordura para ser acumulada é maior ainda.

 

Para além da questão do aumento da massa gorda, há também alguns sintomas que podem surgir associados a períodos de jejum prolongados, como confusão no raciocínio, perda de memória, cefaleia e tonturas, relacionadas com hipoglicémias, que se traduzem na diminuição dos níveis de açúcar no sangue. A médio/ longo prazo, podem surgir sintomas como fraqueza, cansaço, alteração do humor, entre outros.

 

De forma a evitar a ocorrência dos fenómenos descritos, vá comendo de 3h30 em 3h30, evitando períodos de jejum superiores a 10h durante a noite. Assim, mantém o seu metabolismo a funcionar de forma constante, evitando perdas de músculo e ganhos de massa gorda desnecessários.